Terça-feira, 19 de setembro de 2017

Notícias

Belivaldo minimiza André e diz que terá o apoio de Edvaldo
12/09/2017 às 15:48:59

da Redação

 

O vice-governador Belivaldo Chagas (PMDB) afirmou na manhã desta terça-feira (12), que caso seja candidato, ele terá o apoio do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), e que na próxima semana seu agrupamento irá discutir sobre as eleições de 2018. No mês passado, o prefeito concedeu entrevista e não se animou muito ao citar o nome de Belivaldo para governador do Estado. Edvaldo disse que é um nome a se pensar.  

 

Ao ser perguntado sobre a possível candidatura de André Moura a governador e um possível apoio de Edvaldo Nogueira ao atual deputado, Belivaldo afirmou não perder o apoio do prefeito.   “Não passei por esse susto, isso não passou por minha cabeça, pois não consigo enxergar o meu amigo Edvaldo Nogueira, o qual eu chamo de Edvaldinho apoiando outra pessoa que não seja Belivaldo, se for o caso. A relação de amizade é muito próxima, não acredito em hipótese alguma. Nós estamos juntos nesse projeto político como irmãos. Uma coisa que tenho certeza absoluta é que Edvaldo estará no nosso projeto. Mesmo André sendo candidato a governador”, afirmou.

 

No mês passado, Edvaldo Nogueira afirmou que ainda não definiu apoio a pré-candidato nenhum para a eleição de 2018 a governo. “Não é uma definição minha pessoal, nem do meu partido, mas Belivaldo é um nome que eu respeito. Se Jackson for o candidato ao senado será o nome que apoiaremos  e se Belivaldo for candidato de Jackson nós iremos discutir. Eu acho que é muito cedo para discutir lançamento de candidaturas”, afirmou o prefeito.

 

Segundo Belivaldo, Jackson Barreto (PMDB), ainda vai definir sobre a candidatura de 2018 e isso acontecerá na próxima semana. “A intenção do governador era no início do segundo semestre começar a discutir sobre as eleições 2018, mas chegamos a conclusão que ficava difícil avançar sem que conhecêssemos mais de perto o que será a reforma política. Até a próxima semana saberemos o que será. Acho que depois disso começaremos a discutir com as lideranças”, afirmou.