Terça-feira, 19 de setembro de 2017

Notícias

Caso Eliza Clívia: motorista do carro é indiciado por homicídio culposo
13/09/2017 às 10:15:55

da Redação

 

Após investigações do acidente que matou a ex-vocalista da Banda Cavaleiros do Forró, Elizia Clívia e o marido dela, o baterista Sérgio Ramos, a delegada Daniela Lima, da Delegacia Especial de Delitos de Trânsito informou na manhã desta quarta-feira (13), em coletiva de imprensa, que o motorista do veículo, Cléberton José dos Santos, será indiciado por prática de lesão corporal culposa e homicídio culposo, quando não há intenção de matar. 

 

Segundo a delegada Daniela, após quatro perícias, foi possível concluir o inquérito. “No primeiro momento se trabalhou com a coleta das imagens que foram registradas nos estabelecimentos comerciais onde se deu o acidente. Nós também trabalhamos com a coleta dos depoimentos de testemunhas que sobreviveram e também das testemunhas oculares. Trabalhamos com a prova testemunhal, mas também é importante na investigação do homicídio culposo de trânsito que você trabalhe com a prova pericial”, explicou.

 

O Instituto de Criminalística esteve no local do acidente e realizou uma perícia de sobreposição de imagem para aferição de velocidade. Além disso, o disco que mede a velocidade do ônibus - o tacógrafo - ficou à disposição da Criminalística. “No momento do acidente, buscou-se verificar a velocidade do ônibus a partir do registro do tacógrafo, mas lamentavelmente não houve o registro, então entre as quatros perícias, a primeira foi com relação à interpretação desse disco, por isso foi necessário fazer a perícia, e nela, foi constatada que ele estava com o funcionamento adequado. Mas as perícias determinantes junto com os testemunhos e uma requisição de análise a partir das imagens coletadas do acidente geraram a nossa conclusão”, disse.  

 

A delegada explicou que o motorista do carro será indiciado no Art. 302 do Código de Trânsito Brasileiro, que prevê pena pela prática de homicídio culposo na direção de veículo automotor. Com uma detenção de dois a quatro anos, e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo. Além disso, Cléberton vai responder pela prática de lesão corporal culposa, pois no acidente tiveram sobreviventes que se lesionaram. A pena para esse artigo varia entre seis meses a dois anos de prisão. “O motorista foi indiciado pelo artigo 303 que é a lesão corporal de trânsito, uma vez que tem vítimas sobreviventes e o artigo 302 do código de trânsito por homicídio culposo de trânsito das duas vítimas”, explicou Daniela Lima.

 

 

 

 

 

 

 

Por: Crislayne Silva/ Estagiária 

Supervisão: Catarina Gonçalves