Terça-feira, 19 de setembro de 2017

Notícias

Rapidinha: a repercussão das prisões de Wesley Batista e Garotinho
13/09/2017 às 11:43:09

da Redação, com informações de Brasília

 

Os sites de notícias destacam a prisão do empresário Wesley Batista, da JBS, na Operação Acerto de Contas, da Polícia Federal. E também a prisão do ex-governador do Rio Anthony Garotinho, ambas na manhã de hoje. Os agentes cumpriram um mandado de prisão domiciliar contra Garotinho, no Rio. No caso de Wesley, há também uma ordem de prisão contra o empresário Joesley Batista, seu irmão – os dois donos da J&F. Joesley está preso temporariamente, por ordem do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, desde domingo por suspeita de violação de sua delação premiada.

 

A coluna do Estadão revela que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), vai antecipar agenda do período eleitoral em busca de ideias para a campanha. A coluna afirma que o tucano foca em logística e infraestrutura ao programar viagem de carro de Santarém (PA) até Cuiabá (MT). Quer aproveitar um feriado para percorrer os 1.775 km e ver in loco problemas como escoamento de produção e condições de estradas.

 

Já a Folha de S. Paulo destaca a foto postada ontem pelo governador, em suas redes sociais, na fila de embarque do aeroporto de Congonhas, antes de pegar um avião comercial. A estratégia de Alckmin seria uma tentativa de se diferenciar do afilhado político João Doria (PSDB), que também se coloca como pré-candidato a presidente e tem rodado o país para eventos em seu jato particular.

 

O STF julga nesta quarta-feira o pedido de suspeição do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para conduzir investigações contra o presidente Michel Temer e a validade das provas obtidas por meio da delação da J&F. Os advogados do presidente querem “sustar” uma eventual nova denúncia contra Temer até o fim da apuração envolvendo o empresário Joesley Batista.

 

Hoje também ocorre o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz Sérgio Moroe, Curitiba, com uma amplitude da mobilização em apoio ao petista menor. A exemplo do primeiro de Lula ao juiz, o PT e movimentos alinhados a Lula marcaram um ato para a tarde desta quarta-feira, agora na Praça Generoso Marques, no centro de Curitiba. Porém, até mesmo aliados do petista estimam um número muito menor de participantes.