Sábado, 21 de outubro de 2017

Notícias

Sukita: "Jackson Barreto não me ofereceu espaço nenhum em seu governo"
06/10/2017 às 16:55:53

da Redação

 

O ex-prefeito de Capela, Manoel Sukita, reafirmou nesta sexta-feira (6) que poderá romper com o agrupamento político comandado pelo governador Jackson Barreto (PMDB). Essa manifestação se deu depois da informação que pode perder o comando do Podemos (antigo PTN), em Sergipe.  Sukita afirma que foi o responsável pela construção do partido no estado, e ameaçou uma desfiliação caso seja “trocado” pelo secretário de estado Zezinho  Sobral.

 

O senador Álvaro Dias, político de maior destaque no Podemos, e líder da sigla, afirmou que está aguardando apenas uma reunião com a executiva nacional do partido para anunciar Zezinho Sobral como presidente do partido em Sergipe, contrariando as pretenções de Sukita.

 

“Eu construí esse partido e eu não fui pedir a cargo a ninguém, e toda a classe política daqui sabe disso. Instalei esse partido, percorrendo o estado e Zezinho não acreditava que eu fosse capaz de montar um partido. Eu estou aqui avisando ao governador, que se ele entrar eu saio”, disse em entrevista a uma emissora de rádio da capital.

 

Sukita depositou a sua derrocada no Podemos ao governador Jackson Barreto. “Sempre apoiei Jackson Barreto. Ele foi eleito com a minha participação. Espero que ele oriente Zezinho a mudar de ideia, caso contrário, eu vou enfrenta-lo. Essa postura faz com que Jackson instale uma carnificina em seu agrupamento político”, disse.

 

"Jackson Barreto não me deu um emprego de vigia, e ele é governador com o meu voto. Jackson ao invés de me ajudar a defender o mandato que Valadares me roubou, ele nomeuou Chiquinho Gualberto como líder da bancada dele na Assembleia Legislativa, que está lá até hoje, com os meus votos", reclamou Sukita. 

 

Em um tom agressivo, Sukita afirmou em Zezinho não entrará no Podemos. "Jackson está convidado para entrar no partido como cidadão, mas se colocar Zezinho em meu partido, eu sairei dele e irei lhe enfrentar. Não tenho votos para ser senador, mas tenho para lhe derrotar. Pela primeira vez na minha vida votarei contra você", reafirmou Sukita.