Sexta-feira, 21 de julho de 2017

Notícias

Bancada federal tem que conversar menos e trabalhar mais!
18/04/2017 às 16:00:56

No próximo ano nós teremos eleições gerais para presidente da República, governador, senadores, deputados federais e estaduais. Em Sergipe, muito se especula sobre uma renovação no parlamento Estadual, mas pouco se fala sobre a bancada federal que nos representa no Congresso Nacional. Ouvindo as pessoas nas ruas, este colunista sente que o descrédito da classe política é gigantesco. Apesar de o escândalo da delação da Odebrecht não ter atingido os políticos sergipanos, como se chegou a ventilar, a população não está satisfeita com a representação em Brasília (DF).

 

Temos uma bancada federal que mantém um relacionamento muito bom com o governo do presidente Michel Temer (PMDB). O deputado federal André Moura (PSC), por exemplo, já liderou o governo na Câmara e agora lidera no Congresso Nacional. Mas Sergipe não pode perder a oportunidade que já teve com o ex-governador Marcelo Deda (in memoriam), que era compadre do ex-presidente da República, Lula (PT), e que se hospedava na residência oficial do petista quando se deslocava para a capital federal. Vieram investimentos para o nosso Estado, lá atrás, mas muito aquém do que poderia ser feito.

 

Sobretudo pelas modestas dimensões territoriais de Sergipe. Dava para chegar muito mais dinheiro, para se gerar muito mais emprego e renda. Mas é inegável que o volume de recursos que chegou ainda deu para fazer muito. Lula foi presidente por oito anos e neste período as obras de ampliação do Aeroporto de Aracaju e da duplicação da BR-101, por exemplo, não saíram do papel. Justiça seja feita, com André Moura na liderança do governo agora em BSB há uma expectativa muito grande que os projetos e as obras andem com mais celeridade. É exatamente isso que a sociedade espera.  

 

Os sergipanos estão cansados de muita conversa, de muitas promessas. Querem os resultados acontecendo na prática. Temos uma bancada federal que é muito atuante politicamente falando. Recebendo prefeitos em Brasília, abrindo as portas de Ministérios e órgãos, buscando viabilizar investimentos e desburocratizar a tramitação dos processos. Esta mesma bancada também adora discursar, conceder entrevistas e anunciar futuros investimentos. As pessoas já não aguentam mais isso e querem resultado! Na avaliação deste colunista, nossos representantes federais devem conversar menos e trabalhar mais!

 

A crítica não é direcionada ao deputado “A” ou ao senador “B”, mas à bancada como um todo, que já diverge na escolha do seu coordenador. Para a maioria, o deputado Laércio Oliveira (SD) é o novo coordenador; “no papel”, como se costuma dizer no interior do Brasil, o senador Valadares (PSB) é ainda reconhecido como titular do Posto. Para este colunista, a bancada, que já é pequena, deveria se unir mais em defesa dos interesses dos sergipanos. Talvez, unidos, eles tivessem mais força e mais prestigio perante á presidência da República. Hoje o que se vê, e nisso inclua o governador Jackson Barreto (PMDB), é apenas uma disputa entre quem tem mais força política junto ao presidente Michel Temer. Nada mais...

 

A bancada federal precisa ouvir o “som que vem das ruas”, promovendo mais audiências públicas e defendendo as bandeiras que interessam verdadeiramente os sergipanos em BSB. Não adiantar ir para o Congresso defender os seus interesses ou daquele segmento que representa apenas. Como também, não adianta ter um discurso bem articulado em Sergipe e em Brasília “rezar na cartilha” do governo. Acrescente aí que o povão cansou de só ouvir promessas.  Ou a nossa bancada procura apresentar resultados práticos ainda este ano, e até em meados do próximo, ou teremos uma verdadeira renovação de quadros, no Senado e, principalmente, na Câmara Federal. Tem muita gente boa e com disposição, do lado de fora, se “aquecendo” para entrar na disputa por uma das vagas em 2018. É ver para crer...

 

Veja essa!

A deputada estadual Ana Lúcia (PT) surpreende este colunista em alguns posicionamentos. Muito clara, do ponto de vista ideológico, a petista participou nessa terça-feira (18), do ato público de queima de Judas, promovido pela Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE).

 

E essa!

Através de suas redes sociais a petista divulgou que acompanhou a queima dos bonecos de Judas “representando o presidente ilegítimo Michel Temer, deputados e senadores que votaram a favor do golpe contra a presidenta Dilma e que tem defendido e votado a favor das contrarreformas do governo golpista de Michel Temer. O governador Jackson Barreto e o secretário de estado da Educação Jorge Carvalho”.

 

Subestima

Com todo respeito que este colunista nutre pela professora, mas esta posição é tentar subestimar a inteligência das pessoas. Ela condena as reformas e até aí tudo bem; mas condena Michel Temer, que ela própria foi para as ruas ajudar a eleger e, depois de muito tempo elogiando, agora também ataca Jackson Barreto, que também contou com os votos do agrupamento político dela em 2014.

 

Perguntas

O que não quer calar: será que Ana Lúcia acredita mesmo na inocência de Lula, Dilma Rousseff e companhia, mesmo depois da delação da Odebrecht? Será que ela acredita mesmo na “teoria do golpe”? Ou será que a tão racional deputada Ana Lúcia está apenas “puxando a sardinha” para defender seus companheiros de partido?

 

E 2018?

E ainda nesta linha de raciocínio, este colunista ainda questiona: no próximo ano, caso haja uma reaproximação do “PMDB golpista” de uma possível candidatura de Lula, o que fará a deputada? E em Sergipe? Ela votará no candidato de JB e do PT ou votará no candidato a governador da oposição? Com a palavra Ana Lúcia...

 

Exclusiva!

O suplente de vereador em Aracaju, Branca de Neve, está de saída do governo de Jackson Barreto. Passaram seis meses da eleição municipal na capital e o líder comunitário não foi reconhecido pelo esforço durante a campanha do ano passado. Se confirmada a saída, JB perde uma liderança de rua expressiva na capital.

 

Ingratidão

Pior do que Jackson Barreto não reconhecer o empenho de Branca de Neve em 2016 é a ingratidão do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB). Sem poder de mobilização nas ruas, o comunista contou com o reforço da turma liderada pelo governador, que foi decisiva no segundo turno da eleição em Aracaju. Nem um “muito obrigado” Branca de Neve recebeu de Edvaldo depois de eleito...

 

SSP I

Para este colunista se confirmada a saída do delegado-geral da Polícia Civil, Alessandro Vieira, não será novidade. Nas recentes entrevistas à imprensa, estava explícito o seu descontentamento com o Executivo, chegando a dizer que a decisão pela permanência ou não era exclusiva do governador e que ele não precisava ser consultado de nada.

 

SSP II

A também saída do secretário João Batista não é nenhuma novidade. Alessandro Vieira atuava como seu braço direito. E ele já havia antecipado que, se tivesse interferência do governador na cúpula da SSP, ele entregava o cargo. A possível renúncia configura apenas aquilo que toda a sociedade já tem conhecimento. A leitura é clara...

 

João Eloy

É evidente que, se retomar o comando da SSP, João Eloy vai precisar de um suporte muito maior. Estamos perdendo a guerra contra o crime organizado desde meados de 2010, quando ele já respondia pela secretaria. Estava extremamente desgastado quando deixou a Pasta e foi sucedido pela trágica gestão de Mendonça Prado.

 

Danielle Garcia

A menos que entregue o cargo na coordenação da Deotap, a delegada Danielle Garcia seguirá firme na função conforme fora antecipado aqui pela coluna. Não existe clima para a sua saída e a maioria das investigações em andamento não deve sofrer interferências.

 

Bomba!

Preso pela Polícia Civil e ainda aguardando a realização de um exame do coração no Hospital Cirurgia, o proprietário da empresa TORRE EMPREENDIMENTOS, José Antônio Torres Neto, teve seu segundo pedido de habeas corpus negado nessa terça-feira (18), desta vez pela desembargadora Ana Lúcia Freire de A. dos Anjos.

 

Vai pedir música?

Os advogados Evânio José de Moura Santos, Matheus Dantas Meira e Fábio Brito Fraga apresentaram três habeas corpus no Poder Judiciário. O primeiro já havia sido negado pelo desembargador Roberto Eugênio da Fonseca Porto. Ser o terceiro também não for acatado, o empresário poderá “pedir música no Fantástico”...

 

Vai ter delação?

Em todas as rodas políticas do Estado um assunto não sai da pauta: será que o empresário e dono da TORRE vai aceitar o benefício da delação premiada em caso de iminente condenação judicial? Tem gente em Sergipe que está com o coração muito mais abalado e nervoso que o dele...

 

Falando nisso

Que fase do presidente da Câmara Municipal de Aracaju, vereador Josenito Vitale (PSD), o “Nitinho”. Ele recorreu da decisão judicial obrigado a CMA a instalar a CPI do Lixo. Pelo visto, está claro para toda a sociedade que há uma movimentação dentro da Câmara para impedir a investigação sobre a polêmica da coleta do lixo.

 

Subserviência

É o que este colunista sempre aponta: a subserviência da CMA para atender o prefeito Edvaldo Nogueira está passando dos limites. Agora confrontando uma decisão judicial. Em tempos de delações, Nitinho está apostando todas as fichas e muito alto. No final, o Poder Legislativo pode ficar completamente desmoralizado. Quem avisa...

 

Reajuste 0%

O secretário da Fazenda, Josué Modesto, esteve até o início da tarde dessa terça-feira (18), apresentando os números do terceiro quadrimestre de 2016 para os membros da Comissão de Economia e Finanças da Assembleia Legislativa. E já antecipou: sem melhoras na arrecadação, vem aí reajuste de 0% para os servidores.

 

Parcelamentos

Josué Modesto também não descartou, para alguns meses do segundo semestre, a volta do parcelamento de salários dos servidores do Estado. Tudo vai depender da arrecadação, mas ele assegurou que dificilmente o governo voltará a pagar ao funcionalismo dentro do mês trabalhado.

 

Previdência

A exposição do secretário foi marcada por dois pontos: o primeiro é que o Executivo está descumprindo o limite prudencial dos gastos com pessoal da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). O segundo ponto é que em 2016 o Estado alocou recursos da ordem de quase R$ 1 bilhão para cobrir o rombo da previdência e, a previsão para 2017, se aproxima de R$ 1,2 bilhões.

 

Silvia Fontes

A deputada estadual Silvia Fontes (PDT) celebra a aprovação de 11 indicações de sua autoria ao Governador Jackson Barreto. Na primeira delas, ela propôs a construção de uma estrutura permanente, física e representativa em tamanho natural do Patrimônio Cultural, Histórico e Artístico do Estado de Sergipe, no Espaço de Eventos da Orla de Atalaia, como forma de divulgar os pontos turísticos do Estado.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com