Sexta-feira, 28 de julho de 2017

Notícias

Aliados apenas “suportam” petistas por expectativa com Lula
16/05/2017 às 00:06:58

É uma realidade dentro do governo de Jackson Barreto (PMDB): a grande maioria dos aliados apenas “suportam” alguns membros do Partido dos Trabalhadores e os tratam como aliados porque ainda existe a expectativa em torno de uma candidatura à presidência da República do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT). Se o petista reunir condições eleitorais de disputar o pleito do próximo ano, e como franco favorito, o PT passa a ser um aliado importante aqui no Estado. Mas, se os desdobramentos da Operação Lava Jato tornarem Lula “inelegível”, certamente o PT sergipano ficará de lado.

 

Dentro do Governo do Estado há anos que alguns aliados se esforçam para suportar a deputada estadual Ana Lúcia (PT), a tendência Articulação de Esquerda e alguns dirigentes do Sintese (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial do Estado de Sergipe) que estão ligados diretamente ao Partido dos Trabalhadores. A relação entre ele é difícil e a própria parlamentar já assumiu um posicionamento de oposição ao governo de Jackson Barreto. Apesar de divergir diretamente de seu partido, que compõe a base aliada, a deputada é uma das maiores críticas da gestão JB, sobretudo na Educação.

 

Outra liderança dentro do Partido dos Trabalhadores que também não conta com o “carisma” da maioria dos aliados de JB é o ex-deputado federal e presidente estadual do PT, Rogério Carvalho. Muita gente da base do governo do Estado, que hoje tem sido questionada pela ineficiência das fundações de Saúde, nutre um ranço com o “pai do monstro”, ou seja, também são contrários às fundações, mas evitam a exposição para evitar um desgaste na relação política com o PT e, principalmente, com Rogério que, diga-se de passagem, tem rejeição dentro de seu próprio partido.

 

Vislumbrando uma candidatura forte de Lula à presidência da República, em Sergipe o Partido dos Trabalhadores tenta articular a indicação do candidato à vice, em uma chapa encabeçada pelo atual vice-governador, Belivaldo Chagas (PMDB). Não se tem um nome definido, colocado em evidência, mas o PT quer o espaço. Fala-se nos bastidores de uma nova candidatura de Rogério Carvalho para o Senado. Neste caso, Jackson Barreto tende a ser um dos candidatos e vários aliados como Heleno Silva (PRB), Fábio Henrique (PDT), Fábio Mitidieri (PSD) e Laércio Oliveira (SD) já manifestaram interesse na outra vaga do bloco.

 

A turma demonstra que quer deslocar Rogério da disputa para o Senado e forçar o partido a indicar um nome “mais leve” para a vaga de vice-governador”. É bom frisar que o PSD, através do deputado estadual Luís Mitidieri, é uma alternativa real para a vaga. Toda a movimentação e as conversas são feitas com o maior cuidado, sem estardalhaço. Por enquanto fica tudo em meio a ilações e disputa por espaços dentro da administração estadual. Há quem, inclusive, defenda o nome de Rogério Carvalho para disputar o governo, por este ser mais “arrojado” que Belivaldo Chagas. Por sua vez, a maioria dos aliados prefere a continuidade e querem apostar no “galeguinho”.

 

Em síntese, a turma não quer mais ser comandada pelo PT! Foi-se o tempo do ex-governador Marcelo Déda (in memoriam) que liderava todo o agrupamento, que fazia todas as articulações políticas. Hoje, sem ele presente, a turma ficou “independente” e não cogita a possibilidade no Estado de “ressuscitar” o comando do PT. Apenas não se manifestam com mais acidez porque aguardam uma definição do cenário nacional. Os governos populistas de Lula e Dilma sempre trabalharam com uma “coalizão” de partidos e essa turma não quer se precipitar. Mas é fato: se ficar inelegível, Lula estará fora da eleição presidencial e o PT sergipano será “dispensado” pela maioria de seus aliados no governo JB...

 

Veja essa!

No interior do Estado não se fala outra coisa: em alguns municípios os vereadores já “bateram o martelo” para as eleições estaduais do próximo ano. A turma já está fechando apoios políticos para deputado federal e deputado estadual.

 

E essa!

Para quem espera por grandes mudanças na eleição estadual de 2018, este colunista antecipa: quem não tem estrutura só garantirá o êxito nas urnas à base de milagre. Tem uma turma que já está fortalecendo suas bases já de agora. A reeleição é apenas uma questão de tempo...

 

Deputado Federal

Pior ainda será a disputa para deputado federal. Além dos oito parlamentares que são detentores de mandato e que podem buscar a reeleição, muitos pré-candidatos “bem estruturados” também estão se movimentando pelo interior. A eleição não terá muita chance para “aventureiros”...

 

Sem dinheiro

A crise financeira que assola o País e o aumento da fiscalização dos órgãos de controle vai inviabilizar o gasto excessivo durante a campanha eleitoral, mas quem possui uma estrutura mínima, largará com boa vantagem desta vez. Quem tiver disposição para investir, a depender da coligação, já pode encomendar o terno...

 

Tudo indefinido I

A classe política em peso aguarda uma possível reforma eleitoral. As conversas se ampliam em BSB, nos bastidores do Congresso Nacional, mas não existem garantias de mudanças na legislação para 2018. O tempo está passando e o Congresso precisa aprovar as mudanças até outubro próximo.

 

Tudo indefinido II

Muita gente está de olho no fim ou não das coligações. Essa decisão pode resultar em várias trocas de partido com a abertura de uma “janela para transferências” ainda este ano. O pessoal que pretende mudar de legenda deve esperar até setembro para definir o futuro político.

 

Em busca

A redução do déficit habitacional em Sergipe entrou como uma das pautas do senador Eduardo Amorim (PSDB).  Após solenidade de entrega de quase 1000 casas de conjuntos habitacionais do Programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal, nas cidades de Tobias Barreto e Estância, no último fim de semana, o parlamentar sergipano já agendou uma audiência com o Ministro das Cidades, Bruno Araújo, com objetivo de solicitar novas moradias para Sergipe.

 

Eduardo Amorim

“Só quem não tem uma casa própria sabe qual a importância em tê-la. Testemunhei a satisfação no semblante das pessoas em realizar o sonho da aquisição do bem maior. Vamos buscar, vamos ofertar mais casas aos sergipanos”, afirmou Eduardo.

Nota de pesar I

O senador Eduardo Amorim lamenta profundamente o falecimento da empresária itabaianense Maria Irami Almeida ocorrido nessa segunda-feira (15). “Foi com imensa tristeza que recebi a notícia do falecimento de Maria Irami Almeida, conhecida como Irami da Joalheria A Novidade”.

 

Nota de pesar II

“Irami da Joalheira foi uma mulher de muita garra e responsabilidade, sendo uma das pessoas mais importantes para o comércio de Itabaiana, minha terra natal. Mulher de fibra, ela foi fundamental para o fortalecimento do empresariado de Itabaiana e de Sergipe. Irami foi presidente do Rotary Club de Itabaiana e da Câmara de Dirigentes Lojistas de Itabaiana, além de destacada atuação em outras instituições de serviços na nossa cidade. Neste momento de dor, meus sentimentos à família de Maria Irami Almeida, aos seus amigos e familiares”, completou o senador.

 

João Daniel I

O deputado federal João Daniel (PT) participou de reunião com representantes de sindicatos, centrais sindicais e movimentos sociais que integram as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. O encontro teve como objetivo tratar sobre os próximos encaminhamentos na luta contra as reformas da Previdência e Trabalhista e os retrocessos que têm ocorrido no país nos últimos 12 meses.

 

João Daniel II

Toda bancada federal de Sergipe foi convidada para esta reunião. João Daniel afirmou que, apesar dos retrocessos, a pressão popular tem condições de barrar essas reformas.

Participaram da reunião representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), União Geral dos Trabalhadores (UGT), CSP Conlutas, sindicatos, além de movimentos sociais.

 

Tobias Barreto

Em palanque eclético, formado por várias lideranças políticas de Sergipe, o governador Jackson Barreto, no último sábado, destacou ato de civilidade e exemplo do ex-prefeito Dilson de Agripino (PT). “Por isso faço um apelo ao presidente da Caixa, Gilberto Occhi, que na placa de inauguração acrescente o nome de Dilson de Agripino porque foi ele quem concretizou o sonho de centenas de famílias, naturalmente em parceria com os governos federal e estadual”.

 

Dilson de Agripino

Em sua fala, Dilson de Agripino, além de agradecer apoio do governo federal, sobretudo da CEF, através de Gilberto Occhi e do Programa “Minha Casa Minha Vida”, também enalteceu o apoio Governo do Estado e empenho pessoal do governador para que as famílias tobienses pudessem comemorar o Dia das Mães em suas dignas e próprias residências. Ele apelou para JB também cuidar do atual gestor, porque fazendo assim “estaria cuidando do povo de Tobias Barreto”.

 

Homenagem

“Quantas vidas já foram salvas pela ação direta e indireta desse médico e sua equipe, quantas famílias têm no Hospital São Lucas, um ponto de referência, quando se trata de buscar saúde, quantos médicos foram formados por meio dos ensinamentos desse homem?”. A indagação foi feita pelo presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, deputado Luciano Bispo (PMDB), quando da entrega por meio de propositura de sua autoria, da Medalha da Ordem do Mérito Parlamentar, ao médico Dietrich Wilheim Todt.

 

Luciano Bispo I

“Nós sergipanos é que temos que ser grato pelo homem, professor e pai de família que o senhor é. Todos os alunos e médicos que conversei sobre o senhor lhe elogiaram e a gente só tem que agradecer a Deus por esse homem que veio para Sergipe fazer Medicina, fazer história. Essa Casa não faz mais do que Justiça”, ressalta. Luciano Bispo destacou ainda que o conheceu por meio do irmão e ex-deputado estadual Arnaldo Bispo.

 

Luciano Bispo II

“O conheci por intermédio do irmão Arnaldo Bispo, quando deputado estadual e uma noite participei de um evento no Hospital São Lucas em que eles estavam recebendo uma homenagem do Canadá, colocando o hospital como de excelência, mostrando que a direção não era formada só por homens empresários, mas humanistas, que se preocupam em fornecer aos sergipanos, uma qualidade de atendimento, com profissionalismo de excelência. Eu fiquei feliz com aquilo e fiz a propositura dessa comenda”, justificou.

 

Serviço Social

Através de um requerimento da deputada estadual Ana Lúcia (PT), o plenário da Assembleia Legislativa de Sergipe abrigou uma palestra sobre o Serviço Social, Educação e Políticas Públicas promovida pelo representante do Conselho Regional de Serviço Social 18. Região – Sergipe (CRESS/SE), Itanamara Guedes Cavalcante, para marcar a passagem do Dia do Assistente Social.

 

CRESS I

Ao fazer sua exposição no plenário da Casa, a presidente do CRESS/SE apresentou aos deputados estaduais a minuta de um projeto de lei para que eles avaliem e estudem a aplicação em Sergipe de uma legislação que disponha sobre a criação do cargo de Assistente Social e Psicólogo na rede de Educação Básica do Estado.

 

CRESS II

“Os trabalhadores passaram a reivindicar diversas políticas públicas no nosso País, entre elas a política de Educação, mas não a que desejamos. É uma política que cumpre o papel da sociedade capitalista que são relações sociais de desigualdade, ou seja, a educação cumpre o papel de formar o trabalhador apenas para o mercado de trabalho e para reproduzir o sistema capitalista”, comentou a presidente do CRESS.

 

Itanamara Guedes I

A palestrante foi ainda mais longe e disse que a Educação não tem sido uma prioridade dos governos, inclusive do federal. “Essa política tem seguido um modelo educacional empresarial e baseado na lógica dos organismos internacionais da empregabilidade, onde as pessoas não trabalham ou não tiveram acesso porque não tiveram qualificação profissional. Querem incutir nos trabalhadores a culpa pelo desemprego”.

 

Itanamara Guedes II

Ela analisa que a educação tem um papel muito maior graças aos seus trabalhadores, à sociedade brasileira e aos movimentos sociais em defesa da Educação. “Nós reivindicarmos a inserção do Assistente Social nas escolas. Para a gente entender a Educação como um processo de transformação social são necessários elementos como Liberdade, Democracia, Moradia, Justiça Social e Equidade. Eles precisam estar no chão da escola, na entrada do aluno. É essa concepção que o serviço social traz para si”, colocou.

 

Moritos Matos I

A proposta recebeu o apoio dos presentes, com destaque para o deputado Moritos Matos (PROS) que revelou já ter protocolado na Assembleia Legislativa uma proposta semelhante. “Quando fui vereador de Aracaju tentei, sem sucesso, aprovar um projeto multidisciplinar nas escolas. Fiz o mesmo no mês de Março aqui na AL e temos um projeto em tramitação muito parecido. Espero que ele seja apreciado pela Casa e que a proposta seja aprovada”.

 

Moritos Matos II

Depois, diante dos posicionamentos dos demais deputados, Matos voltou a pedir a palavra e anunciou que “verifiquei o projeto dos Assistentes Sociais e vi não é praticamente o mesmo teor. Não vejo problema em retirar a minha proposta e em dar andamento, pela Casa Legislativa, na proposta do CRESS. Acho que ele contempla aquilo que a gente pensa”, disse, chegando a destacar a importância de um fonoaudiólogo e de um advogado na equipe multidisciplinar.

 

Silvia Fontes

Por sua vez, a deputada Sílvia Fontes (PDT) destacou sua experiência, ao longo de cinco anos, como secretária de Assistência Social de Nossa Senhora do Socorro. “O tripé da nossa administração era a Saúde, Educação e a Assistência Social. Isso era importante para a rede funcionar. São vários os problemas diagnosticados, mas não temos esses profissionais na rede, o que dificulta e muito. Antes o governo federal dava toda a assistência e todo apoio aos serviços sociais, com políticas voltadas para a assistência. No momento estamos perdemos muito com a política atual”.

 

Ana Lúcia

Autora do requerimento que viabilizou a palestra, a deputada Ana Lúcia (PT) fez uma avaliação muito positiva do debate, sobretudo pelo dia que marca a luta dos Assistentes Sociais. “A defesa da profissão é uma luta contínua. Acho que esta luta deve ser da Casa como um todo, o deputado Moritos Matos tem uma proposta, mas é preciso muita força para a gente avançar. Vamos dialogar com o restante dos membros da Casa e com o Poder Executivo”.

 

Mais religião I

Por fim, o presidente da AL, deputado Luciano Bispo (PMDB) enfatizou que a palestra teve um objetivo louvável, mas reforçou para a Educação dos jovens uma aproximação maior da Igreja. “A religião influencia os jovens. É preciso que a família leve os jovens para a Igreja. Vejo muito essa carência em Itabaiana. Em três anos foram 300 assassinatos e não temos 30 inquéritos apurados. Um vai matando o outro e as famílias se acabam nesse sofrimento”.

 

Mais religião II

Ainda discordando da expositora sobre um aspecto da religião, Luciano Bispo disse que “é preciso ter essa preocupação com a nossa juventude. Pelé, ainda na década de 70, já dizia que era preciso cuidar das crianças. Acho que essa luta tem que continuar e, me permita, mas nós temos que continuar acreditando no nosso País, no nosso povo. Trato todos como iguais e tenho orgulho de ser político. Tenho posição, tenho partido e sou aliado, mas sei respeitar e gosto de ouvir as pessoas. Agora é preciso que as pessoas também tenham o desprendimento de ouvir aquilo que elas não gostam”.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com