Sábado, 21 de outubro de 2017

Airton Lima

O esporte sergipano e a eterna luta contra tudo
02/10/2017 às 09:38:50

Dias desses entre um sinal e outro nas vias da capital me deparei com mais um entre os vários pedidos de pessoas que entre o vermelho e o verde aproveitam para conquistar um troco.

 

 

Tenho o costume de sempre deixar umas moedas no carro para dar uma força a essa turma que merece todo o nosso respeito. Mas, dessa vez, foi diferente. Duas crianças de kimono (vestimenta tradicional das artes marciais) vendiam copos personalizados e explicavam o motivo: arrecadar fundos para disputar um campeonato no Chile. Percebi também que adultos revesavam-se entre um carro e outro, e o pedido era o mesmo.

 

 

O copo custou R$10, pude colaborar. Vi também o renomado e multicampeão professor Yokan Jócelis entre os "pedintes". O sinal abriu e segui viagem, dias depois assisti a uma reportagem na tv sobre isso.

 

 

Aquilo me fez pensar por muitos e muitos dias nesse cenário patético que isso que chamamos de "país" atravessa. De um lado escândalos, uma infindável lista de denunciados por corrupção e que não acontece nada ou quase nada contra quem faz de tudo para ferrar com a pátria. Do outro, a maioria da população digna, que já desiludiu-se com tantas notícias ruins e se vira como pode para conseguir além de dar uma perspectiva de futuro para as crianças, realizar seus objetivos.

 

 

Em um país que acaba de anunciar o fim do "Bolsa Atleta" apenas um após ter realizado os Jogos Olímpicos, cenas como essa, sinceramente, não sei se me deixam feliz ou ainda mais revoltado e desacreditado com o "país" em que tivemos a "sorte" de nascer.

 

 

#VivaOEsporteSergipano

 

Airton Lima

É radialista por formação, locutor esportivo, ex-jogador de futebol e apaixonado por comunicação. Sempre teve uma forte ligação com o esporte, chegando a ser jogador de futebol amador na adolescência, inclusive passando até pela Seleção Brasileira de Base. É admirador da capacidade que o esporte tem em transformar vidas, unir povos e escrever parte da história da humanidade. Nesse espaço ele vai fazer análise dessa paixão esportiva que está no seu DNA.