Sexta-feira, 28 de julho de 2017

Airton Lima

Confiança vence o Sergipe de novo. Freguesia colorada no clássico?
17/04/2017 às 07:53:50


Confiança vence o Sergipe de novo. Freguesia colorada no clássico?


Em 2017, sim! O maior clássico do nosso futebol só será disputado em 2018 novamente, isso porque apenas um dos dois irá a grande final do Sergipão 2017 e estão em divisões diferentes no Brasileirão.

Acabei começando do final... E que final de jogo, de um jogo que teve tudo, tudo o que um grande clássico precisa para se fazer clássico: gols, polêmica, emoção, ual! que jogaço!


3x2 para o Dragão, segunda vitória em três clássicos no ano além de um empate e de quebra põe cinco pontos de vantagem no maior rival na busca pela vaga restante na grande final contra o Itabaiana que assiste a tudo no camarote da serra.


O Confiança abriu 2x0, o Sergipe buscou o empate e o azulino ainda teve seu goleiro expulso. Teve também a coragem de buscar o ataque até o fim e conseguir um penalte aos 49 do segundo tempo.

 

E quem teve PEITO de marcar a penalidade foi o árbitro goiano Wilton Sampaio, arbitragem "estrangeira" que foi um pedido do Sergipe.


Sylvi foi lá e resolveu. 3x2.


Restam duas rodadas antes da final, o Confiança enfrenta o Itabaiana fora e o Frei Paulistano em casa. O Sergipe recebe o Boca e fecha contra o Amadense em Tobias Barreto.


Ainda dá para o Sergipe? Sim, mas é difícil. Tem de vencer as duas e o Confiança só pode fazer um ponto.


Já para o Dragão, mesmo que perca para o Itabaiana no clássico de quarta-feira, enfrenta um desfigurado Frei Paulistano na última rodada.


Além de não perder para o maior rival, o Confiança deve ir a final e voltar as competições nacionais Copa do Nordeste e Copa do Brasil. 


Esse é o peso da vitória nos clássicos.

 

Airton Lima

É radialista por formação, locutor esportivo, ex-jogador de futebol e apaixonado por comunicação. Sempre teve uma forte ligação com o esporte, chegando a ser jogador de futebol amador na adolescência, inclusive passando até pela Seleção Brasileira de Base. É admirador da capacidade que o esporte tem em transformar vidas, unir povos e escrever parte da história da humanidade. Nesse espaço ele vai fazer análise dessa paixão esportiva que está no seu DNA.