Sexta-feira, 28 de julho de 2017

POLÍTICA

Belivaldo Chagas: situação financeira do Estado deve se estender até setembro
28/07/2017 às 10:00:53

Por Catarina Gonçalves, da Redação

 

Na manhã desta sexta-feira (28), em entrevista exclusiva ao jornalista Carlos Ferreira, durante o Jornal da Ilha primeira edição, o vice-governador Belivaldo Chagas (PSB) fez um balanço dos 16 dias que passou como interino, durante as férias do governador Jackson Barreto (PMDB). E também aproveitou para falar sobre a crise financeira que o Estado vem enfrentando.

 

Segundo Belivaldo, quase nada mudou na sua maneira de trabalhar. “Eu tenho um bom relacionamento com o governador e tenho uma participação ativa no Governo, pelo fator de estar à frente da Casa Civil. Portanto, o fato de ter assumido o governo esses dias não alterou muito o fluxo das coisas. Fui a várias secretarias entre elas Educação, Saúde, Segurança Pública e Fazenda para discutir os problemas de cada pasta.

 

Endividamento do Estado

 

O vice-governador frisou que a situação financeira do Estado não está nada fácil e deve piorar agora nos meses de agosto e setembro. “Estamos com crise na arrecadação desde março. A crise é muito grave. Temos um déficit enorme na previdência para tapar. Será que lá no passado, quando venderam a Energipe, se tivessem feito da forma correta nós estaríamos passando por essa dificuldade na Previdência?, indagou Belivaldo.

 

Funprev

 

Questionado se achava correta a utilização dos recursos do Funprev, Belivado disse que “a questão não é ser de acordo ou não quanto ao Funprev. O que não podemos é fazer com ele agora o que foi feito no passado. Pelo fato de não terem feito o dever de casa no passado, é que a previdência chegou onde chegou”, afirmou.

 

Eleições 2018

 

“Posso te dizer com todas as letras que no Governo ninguém sentou para discutir sucessão. O governador Jackson Barreto não sentou com ninguém do grupo para discutir isso. É natural que a imprensa provoque, que o assunto comece a aparecer na mídia. Mas nós ainda não discutimos nada sobre eleição. Pelo amor de Deus, vamos deixar pra discutir política em 2018. Vamos respeitar o momento”, afirmou Belivaldo em tom de apelo.

 

Ele ainda completou dizendo que “o momento é de união para todos: oposição e situação. O interesse não é de um, nem de outro, é de Sergipe. Quem está enfrentando a crise que nós enfrentamos não tem como discutir eleição. Nosso foco é saber como vamos fazer para não atrasar o salário do servidor. Esse mês de agosto não será fácil. E setembro pior ainda. Só temos previsão de melhora na arrecadação em novembro/dezembro”, revelou o vice-governador.

 

Salários

 

Questionado por um ouvinte se sentia culpado pelo atraso e parcelamento do salário dos servidores e aposentados, Belivaldo disse que “responsáveis todos nós somos. Nós não devemos fugir das nossas responsabilidades e nem jogar a culpa para outras pessoas. Mas o fato é que não fizeram o dever de casa no passado e a bomba estourou agora! Mas não adianta a gente botar culpa ou tirar. Temos que encontrar soluções, pois não existe milagre”, completou.